Pular para o conteúdo principal

A INFELICIDADE CONSENTIDA

Resultado de imagem para A infelicidade consentida

A infelicidade consentida

Um defeito que nos acompanha pela vida é essa necessidade de mensuração das vivências. Usamos fita métrica até pra estipular quanto vai durar um sentimento.
Não sabemos mais sentir, temos receio do que dura. Quando nos deparamos com uma situação difícil, apertamos a alavanca do passado pra dizer que era melhor. Mais isso, mais aquilo.
Vivemos nessa ponte de lamúrias, onde o passado só reflete o quanto estamos paralisados. Usamos o hábito da fuga retrô pra apontar o quanto éramos felizes, o quanto éramos dispostos, o quanto éramos festivos, e o contraponto com o presente só deixa claro o quanto definhamos e perdemos a essência.
Vivemos somente pro tanto de emoção que conseguimos lembrar. O que passar disso é cálculo errado. Exagero.
Não recebemos o que transborda porque nos acostumamos com esse prato raso de boas ações calculadas e sentimentos travestidos de amor. Às vezes, um amor se vai porque não sabemos reconhecê-lo. Não foi a abordagem que mudou, nós é que passamos a usar tapumes no lugar dos olhos pra evitar a simplicidade do que é profundo.
Não temos armas, mas temos dedos apontados, que é a mesma coisa. Ferimos o outro enquanto ele balbucia pra iniciar uma carícia verbal. Nos distanciamos pra evitar o toque. Em nome da nossa estabilidade emocional, preferimos não perder tempo com “sentimentalismos”. No fundo, não queremos fazer nada que não esteja na pauta diária da normalidade. Nada que nos faça vibrar por dentro. Preferimos a comodidade do “eu era feliz e não sabia”, pra continuarmos infelizes sabendo.
Pra continuarmos mergulhados na inércia do passado, na pseudoalegria que não contamina o presente. Nas lágrimas saudosistas de um sentimento que só depois de muitos anos foi promovido ao rol dos alegrinhos, pois o tempo tem mania de retirar o peso dos acontecimentos e enfeitá-los.
Logo esse “presente” terá/será passado, e certamente, você irá procurar os adjetivos mais interessantes, os melhores adornos pra torná-lo atraente. E vai fazer a mesma coisa, repetir “que era feliz sem saber”, quando jamais resvalou em alegria alguma. Apenas transferiu a ilusão de uma época pra outra sem jamais perder a mania de se enganar.
Fonte:http://www.contioutra.com/a-infelicidade-consentida/?

Postagens mais visitadas deste blog

SÓ PERMANEÇA ONDE EXISTA RECIPROCIDADE - EM TEMPOS DE AMORES LÍQUIDOS RECIPROCIDADE É FUNDAMENTAL

Só permaneça onde existe reciprocidade Por Fabíola Simões
Em tempos de amores líquidos, reciprocidade é fundamental. É ela quem diz que estamos no caminho certo ao enviar um “bom dia” carinhoso àquela menina pelo WhatsApp, ou um áudio com uma coletânea bacana pelo Spotify. É ela que autoriza o comentário entusiasmado na foto do crush interessante ou a curtida frequente nos posts da gata fitness. Mesmo não sendo adepta de estratégias e joguinhos de poder no campo amoroso, acredito no significado da reciprocidade. De só permanecer em relações onde não é preciso insistir para receber uma resposta ou implorar para ser valorizado como deveria. Muitas vezes é preferível abrir mão de uma relação que julgamos importante do que continuar insistindo sem correspondência alguma. O que vejo por aí é que tem faltado discernimento para entender onde não se deve insistir. Onde não vale a pena investir tempo, pensamento, vontade e intensidade na vã tentativa de se sentir acolhido por alguém que simplesmente…

QUANDO SEU CORAÇÃO ESTÁ PLENO DE GRATIDÃO...- OSHO

EXERCÍCIOS PARA ATRAIR UM GRANDE AMOR - LOISE HAY

Exercícios para Atrair um Grande Amor - Louise Hay



Como você quer atrair alguém lhe ame se nem você gosta de você mesma!! a lei da atração é inexorável: energias semelhantes se atraem...só amando-se e respeitando-se é que você atrairá alguém lhe lhe ame verdadeiramente, portanto para atrair um grande amor...ame-se primeiro, portanto ame-se e respeite-se primeiro.
Repita este exercício várias vezes ao dia e ouça-o antes de dormir e durma "ouvindo-o".
Meditação de Louise Hay para amar-se e desta forma atrair um verdadeiro amor.





ESTE VÍDEO POSSUI LEGENDAS EM VÁRIOS IDIOMAS - ATIVE ESTE RECURSO.

Este vídeo possui legendas em português e tradução para diversos idiomas ( multilingual subtitles ) | Exercícios para atrair um grande amor de Louise Hay dublados em português por Juraciara Diácovo - Dubladora da agente Dana Scully - Gillian Anderson Arquivo X - X-Files
Baixe o MP3 do vídeo acima aqui: http://www.4shared.com/mp3/z1BfPIhNba...


Exercises to attract a large love with Louise Hay | …