Pular para o conteúdo principal

A VIDA NÃO TIRA AS PESSOAS DE VOCÊ, AFASTA AS QUE VOCÊ NÃO PRECISA!

Resultado de imagem para A VIDA NÃO TIRA AS PESSOAS DE VOCÊ, AFASTA AS QUE VOCÊ NÃO PRECISA!

A VIDA NÃO TIRA AS PESSOAS DE VOCÊ, 
AFASTA AS QUE VOCÊ NÃO PRECISA!


Quando se trata de salvaguardar o nosso amor próprio e a nossa dignidade, temos que ter sempre algo em mente: não podemos admitir diminuições. Por isso dizemos que a vida não tira as pessoas de nós, mas nos afasta das que não precisamos.
Os vínculos emocionais são valiosos e, por isso, é determinante deixar de lado as pessoas más, sem coração, que esmagam a nossa autoestima vezes sem conta. No momento em que você perceber isso, um mundo novo irá se abrir diante dos seus olhos e você vai deixar de precisar da presença daqueles que semearam dúvidas, desconforto e relutância na sua cabeça.

Dê a sua ausência às pessoas que lhe fazem mal

Afaste-se de quem duvida de você, aproxime-se de quem o valoriza, liberte-se de quem o incomoda e ame quem o apoia. Dê a sua ausência de presente a quem não valoriza a sua presença e mostre o valor que você tem.
a-vida-nao-tira-foto-01
É você quem determina o seu próprio preço, por isso, é esse o valor que as pessoas interessadas vão lhe dar, aquelas que não veem além do seu egoísmo e das suas necessidades. Por isso, é importante ficar perto de quem nos conforta e nos afastarmos das pessoas que nos ferem deliberadamente. Portanto:
  • Afaste-se do que machuca, do que escurece a sua vida, fique longe do que se transforma em trevas.
  • Afaste-se de tudo aquilo que não tenha solução, daquilo que esteja acabando com o seu bem-estar.
  • Distancie-se emocionalmente da dor, da rejeição e da traição; observe-as e aprenda.
  • Enfrente seus medos, controle seus demônios.
  • Tenha consciência de que o sofrimento é opcional.
  • Não maquie nem anestesie a realidade dos vínculos emocionais negativos pelo medo de perder.
  • Lembre-se de que é você que decide quais são as regras do jogo da sua vida.

A dor que deixa pegadas

a-vida-nao-tira-foto-02
Quando nos rompemos em pedaços para manter as outras pessoas completas, desintegramos a nossa capacidade de reação. Ou seja, debilitamos a determinação emocional que forma a nossa essência. Esta desconexão com nós mesmos tem consequências terríveis para a nossa saúde emocional, pois nos isolamos da realidade e menosprezamos nossos desejos.
É necessário fazer uma chamada de atenção importante. Todos podemos ser pessoas tóxicas em algum momento da nossa vida e em algum tipo de relacionamento. No entanto, é mais fácil ver o cisco no olho alheio do que a viga no nosso próprio olho.
Os maus relacionamentos costumam ser baseados em pilares deste tipo:
  • O pressuposto de um papel de vítima.
  • Tirania exigente e ciumenta do que acredita que defende sua dignidade quando menospreza o resto.
  • Atitudes ciumentas.
  • Atenções excessivas.
  • Submissão.
  • Dominação e agressividade.

Autotoxicidade, o desequilíbrio emocional interior

a-vida-nao-tira-foto-03
A deterioração silenciosa que se produz quando tentamos nos convencer de que tudo está bem ou de que alguma coisa pode ser consertada é garantia absoluta de autotoxicidade. Assim, nós somos tóxicos para nós mesmos quando:
  • Assumimos um papel submisso diante das exigências dos outros.
  • Perdemos a nossa essência por não atender aos nossos desejos e sucumbir às exigências dos outros.
  • Nos tornamos vitimistas crônicos.
  • Negligenciamos as nossas emoções e pensamentos, assim como as nossas realizações.
  • Mantemos um diálogo interno prejudicial para com nós mesmos e com os outros.
  • Não nos valorizamos.
  • Paramos de olhar para dentro de nós.
Como se costuma dizer, é essencial que antes de tentar corrigir o mundo, demos algumas voltas em torno da nossa casa. Não podemos resolver nada sem antes questionarmos o papel que desempenhamos em um relacionamento tóxico.
Mais vale uma autocrítica a tempo do que uma ferida emocional profunda no nosso coração por não termos sabido nos valorizar a tempo.
Não se desespere e lembre-se: embora seja difícil se proteger da hipocrisia e da traição daqueles que consideramos amigos, temos sempre que levar em conta que nem tudo que reluz é ouro, mas ainda assim podemos confiar no mundo.
Fonte: https://osegredo.com.br/2016/09/vida-nao-tira-as-pessoas-de-voce-afasta-aquelas-que-voce-nao-precisa/

Postagens mais visitadas deste blog

7 DICAS PARA NÃO ABSORVER A “ENERGIA NEGATIVA” DE OUTRAS PESSOAS

7 DICAS PARA NÃO ABSORVER A “ENERGIA NEGATIVA” DE OUTRAS PESSOAS Se eu não consigo me desligar da dor ou mesmo das oscilações de humor do outro, logo, eu também sofro com elas e, pouco posso fazer para ajudar, uma vez que estou imerso na mesma fonte de desestabilização emocional. Basta que qualquer matéria sobre empatia seja postada para que dezenas de pessoas (que se identificam como empatas) comentem sobre o lado difícil do excesso de sensibilidade. Não é novidade, também, o fato de existirem pessoas que são, voluntaria ou involuntariamente, mais reativas ao que acontece no ambiente ao seu redor. Para elas, a dor do outro dói em si, o mau humor de alguém as abala e as deixa mal humoradas, notícias pesadas as fragilizam e muito estímulo – como estar no meio de multidões e grandes grupos -, as consomem. A questão é: se eu não consigo me desligar da dor ou mesmo das oscilações de humor do outro, logo, eu também sofro com elas e, pouco posso fazer para ajudar, uma vez que estou imerso na me…

"A BASE DE UM CÉREBRO SAUDÁVEL É A BONDADE,E PODE-SE TREINAR ISSO" - RICHARD DAVIDSON,PhD EM NEUROPSICOLOGIA

“A base de um cérebro saudável é a bondade, e pode-se treinar isso”-Richard Davidson, PhD em neuropsicologia e pesquisador na área de neurociência afetiva
Nasci em Nova Iorque e moro em Madison, Wisconsin (EUA), onde sou professor de psicologia e psiquiatria na universidade. A política deve basear-se naquilo que nos une. Só assim poderemos reduzir o sofrimento no mundo. Acredito na gentileza, na ternura e na bondade, mas temos que nos treinar nisso. Eu estava investigando os mecanismos cerebrais ligados à depressão e à ansiedade. …E acabou fundando o Centro de Investigação de Mentes Saudáveis. Quando eu estava no meu segundo ano na Universidade de Harvard, a meditação cruzou o meu caminho e fui para a Índia investigar como treinar a minha mente. Obviamente, meus professores disseram que eu estava ficando louco, mas aquela viagem marcou meu futuro. …E assim que começam as grandes histórias. Descobri que uma mente calma pode produzir bem-estar em qualquer tipo de situação. E quando me dedique…