Pular para o conteúdo principal

COMO DESENVOLVER AUTOCONFIANÇA E AUTOESTIMA,SEGUNDO DR.NELL BURTON,PSIQUIATRA INGLÊS

Resultado de imagem para 9 Formas de Aumentar a Sua Autoconfiança
Como Desenvolver Autoconfiança e Autoestima.
Nesse artigo artigo Nell Burton, Psiquiatra Inglês, presenteia com 17 sugestões para aumentar a nossa auto-estima e a segurança em nós mesmos.
Todas as 17 sugestões são ótimas.
Algumas precisam de tempo para darem resultados apreciáveis, outras ao invés disso, dão rapidamente um gás na sua auto-estima.
Não esqueça de praticar. A Auto-estima se constrói um pouco a cada dia, passo a passo.

17 sugestões simples para desenvolver autoconfiança e autoestima.

A autoestima é afetada por problemas com a saúde física; eventos negativos na vida, como perder o emprego ou se divorciar; relacionamentos deficientes ou frustrantes; e um senso geral de perda de controle. Muitas vezes, esse senso de perda de controle é particularmente pronunciado em vítimas de abuso (emocional, físico ou sexual) ou de discriminação devido a religião, cultura, raça, gênero ou orientação sexual.
Às vezes, a baixa autoestima pode estar profundamente arraigada e ter sua origem em experiências traumáticas na infância da pessoa, como ter ficado prolongadamente separada da figura paterna e/ou materna, negligência ou abuso emocional, físico ou sexual.
Se achar que o seu caso se enquadra em algum desses problemas específicos, converse com um profissional de saúde mental. Terapia ou aconselhamento podem permitir que você fale sobre essas experiências e tente superá-las. Infelizmente, pode ser difícil obter terapia ou aconselhamento, e esses tratamentos podem não ser apropriados para todas as pessoas.
A baixa autoestima pode tornar a pessoa predisposta a desenvolver um transtorno mental, o que pode, por sua vez, derrubar sua autoestima ainda mais gravemente. Em alguns casos, a baixa autoestima em si é um sintoma principal de transtornos mentais, por exemplo, depressão e transtorno de personalidade limítrofe in depressão e transtorno de personalidade limítrofe. A relação entre a baixa autoestima e os transtornos mentais é complexa, e é mais provável que alguém afetado por tais transtornos sofra de baixa autoestima em longo prazo.
Pessoas que sofrem de baixa autoestima em longo prazo normalmente enxergam o mundo como um lugar hostil e a si mesmas como vítimas dele. Em resultado disso, elas relutam em se expressar e se afirmar, perdem experiências e oportunidades, e se sentem impotentes para mudar a situação. Tudo isso apenas diminui ainda mais a sua autoestima, e a pessoa acaba presa num círculo vicioso.
Felizmente, existem vários passos simples que qualquer pessoa pode tomar para aumentar a sua autoestima e, possivelmente, romper esse ciclo. Você talvez já esteja fazendo algumas dessas coisas e, com certeza, não precisa fazer todas elas. Tome apenas os passos com os quais se sentir mais confortável.
1.   Faça três listas: uma dos seus pontos fortes, uma das suas realizações e uma com as coisas que admira em si mesmo. Tente conseguir que um amigo ou parente ajude você com as listas. Guarde-as num lugar seguro e regularmente as leia de ponta a ponta.
2.   Pense sobre si mesmo de modo positivo. Lembre a si mesmo de que, apesar dos seus problemas, você é uma pessoa única, especial e valiosa, e que merece se sentir bem a respeito de si mesmo. Identifique e questione quaisquer pensamentos negativos que possa ter, como: ‘Eu sou um perdedor’, ‘Nunca faço nada direito’, ‘Ninguém gosta de mim de verdade.’
3.   Preste especial atenção à sua higiene pessoal: por exemplo, arrume seu cabelo, corte as unhas, passe fio dental.
4.   Vista roupas que o façam se sentir bem com você mesmo.
5.   Coma bons alimentos, parte de uma dieta saudável e equilibrada. Faça das refeições um momento especial, mesmo que esteja comendo sozinho. Desligue a TV ou o rádio, ponha a mesa e arrume a comida para que fique atraente no prato.
6.   Exercite-se regularmente: saia para dar uma caminhada enérgica todo dia e faça exercícios mais vigorosos (exercícios que façam você suar) três vezes por semana.
7.   Certifique-se de estar dormindo o suficiente.
8.   Administre o seu nível de estresse. Se possível, combine com um amigo ou parente achegados de regularmente massagearem um ao outro.
9.   Faça a sua moradia limpa, confortável e atraente. Deixe expostos itens que lhe fazem lembrar das suas realizações ou dos momentos e pessoas especiais na sua vida.
10.                     Faça mais as coisas de que gosta. Todos os dias, faça pelo menos uma coisa que aprecia e lembre a si mesmo de que merece isso.
11.                     Envolva-se em atividades como pintura, música, poesia e dança. Atividades artísticas assim permitem que você se expresse, adquira um senso de maestria e interaja com outros de maneira positiva. Encontre uma aula por meio de um serviço de ensino de adultos ou centro comunitário.
12.                     Estabeleça um desafio que possa realisticamente vencer e enfrente-o! Por exemplo, comece a fazer ioga, aprenda a cantar ou prepare um pequeno jantar para amigos no seu apartamento ou casa.
13.                     Faça algumas coisas que vem adiando, como tirar o mato do jardim, lavar as janelas ou arquivar papéis.
14.                     Faça algo de bom para outras pessoas. Por exemplo, puxe conversa com alguém na fila do caixa, visite um amigo que está doente ou ajude numa instituição de caridade local.
15.                     Envolva outros: conte a amigos e parentes pelo que você está passando e solicite seu conselho e apoio. Talvez eles tenham problemas parecidos e, nesse caso, vocês poderiam se unir e formar um grupo de apoio.
16.                     Tente passar mais tempo com as pessoas que lhe são queridas. Ao mesmo tempo, tente ampliar seu círculo social por se esforçar para conhecer pessoas.
17.                     Por outro lado, evite pessoas, lugares e instituições que lhe tratam mal ou fazem você se sentir mal a respeito de si mesmo. Isso pode significar ser mais assertivo. Se a assertividade for um problema para você, pergunte a um profissional de saúde sobre como treiná-la.
5 citações sobre autoestima e autoconfiança
“A adversidade e a perseverança e todas essas coisas podem nos moldar. Elas podem nos dar valor e uma autoestima inestimável.” — Scott Hamilton

“Dar às pessoas autoconfiança é de longe a coisa mais importante que posso fazer. Porque, assim, elas agem.” — Jack Welch

“O otimismo é a fé que leva à realização. Nada pode ser feito sem esperança ou confiança.” — Helen Keller

“A saúde é a maior posse. O contentamento é o maior tesouro. A confiança é o maior amigo.” — Lao Tzu

“Desejar que você fosse outra pessoa é desperdiçar a pessoa que você é.” — Anônimo

ARTIGO ORGINAL : HTTPS://WWW.PSYCHOLOGYTODAY.COM/BLOG/HIDE-AND-SEEK/201205/BUILDING-CONFIDENCE-AND-SELF-ESTEEM
Fonte:http://autoestimaem30dias.com.br/como-desenvolver-autoconfianca-e-autoestima/

 Resultado de imagem para 9 Formas de Aumentar a Sua Autoconfiança


Postagens mais visitadas deste blog

7 DICAS PARA NÃO ABSORVER A “ENERGIA NEGATIVA” DE OUTRAS PESSOAS

7 DICAS PARA NÃO ABSORVER A “ENERGIA NEGATIVA” DE OUTRAS PESSOAS Se eu não consigo me desligar da dor ou mesmo das oscilações de humor do outro, logo, eu também sofro com elas e, pouco posso fazer para ajudar, uma vez que estou imerso na mesma fonte de desestabilização emocional. Basta que qualquer matéria sobre empatia seja postada para que dezenas de pessoas (que se identificam como empatas) comentem sobre o lado difícil do excesso de sensibilidade. Não é novidade, também, o fato de existirem pessoas que são, voluntaria ou involuntariamente, mais reativas ao que acontece no ambiente ao seu redor. Para elas, a dor do outro dói em si, o mau humor de alguém as abala e as deixa mal humoradas, notícias pesadas as fragilizam e muito estímulo – como estar no meio de multidões e grandes grupos -, as consomem. A questão é: se eu não consigo me desligar da dor ou mesmo das oscilações de humor do outro, logo, eu também sofro com elas e, pouco posso fazer para ajudar, uma vez que estou imerso na me…

POEMA "METADE" - OSWALDO MONTENEGRO

Metade

Oswaldo Montenegro


Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
A outra metade é silêncio

 Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Pois metade de mim é partida
A outra metade é saudade
Que as palavras que falo
Não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas como a única coisa
Que resta a um homem inundado de sentimentos
Pois metade de mim é o que ouço
A outra metade é o que calo
Que a minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que mereço
Que a tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que penso
A outra metade um vulcão
Que o medo da solidão se afaste
E o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
Que o espelho reflita meu rosto num doce sorriso
Que me lembro ter dado na infância
Pois metade de mim é a lembrança do q…

17 LIÇÕES SOBRE O AMOR QUE VOCÊ PRECISA PÔR EM PRÁTICA EM 2017 PARA SER FINALMENTE FELIZ

© Fornecido por Batanga Media Difusão pela Internet LTDA
casal amor namoro 216 400x800 



17 lições sobre o amor que você precisa pôr em prática em 2017 para ser finalmente feliz 

A proximidade de um novo ano estimula e incentiva mudanças em diversos setores da vida e, claro, no amor as coisas não seriam diferentes. Se você sente que sua relação precisa ser avaliada ou mesmo está solteiro e pretende construir um relacionamento mais sério, conheça algumas importantes lições sobre o amor que você precisa pôr em prática em 2017 para ser finalmente feliz:
Lições para ser feliz no amor1. Fuja da ideia de buscar uma pessoa que te “complete”. Esteja bem consigo mesma e busque um amor que resulte em soma, e não em divisão.
2. Aceite suas próprias falhas e aprenda a conviver com erros do parceiro.
© Fornecido por Batanga Media Difusão pela Internet LTDA casal apaixonado gestos 216 400x800
3. Aprenda que ceder não significa submissão plena e total ao outro e que o ato é necessário para o comprometimento…