Pular para o conteúdo principal

POR UM MUNDO MAIS GENTIL

POR UM MUNDO MAIS GENTIL
Pessoas rudes são vistas no mundo inteiro como desagradáveis, todos querem distância. Cafeterias no Estados Unidos, França e no Brasil acharam um jeito de lidar, com este tipo de gente, oferecendo descontos aos seus clientes que disserem: “bom dia, “por favor”, “olá”. Os internautas não pouparam críticas:  “pessoas sem habilidades sociais terão que evitar totalmente estes lugares”.
Será que essa estratégia daria certo em nossos dias?  Vivemos num mundo onde a competição e a ganância deixam as pessoas agressivas, pois ser gentil é uma arte esquecida nesses tempos de corre-corre. Mas se a gentileza for feita com o coração é capaz de evitar as dores cotidianas causadas por rispidez e má vontade, porque ninguém nasceu para causar transtornos e amarguras aos outros.
A gentileza é a essência do ser humano. Quem não é suficientemente gentil não é suficientemente humano, pois o humano em nós está em construção. Uma vez que a gentileza proporciona relações amistosas. Ser gentil garante uma convivência equilibrada entre as pessoas. A gentileza traz a calma e a tolerância. Como faz bem as palavras mágicas: bom dia, por favor, obrigado.
Não é a educação que deixa uma pessoa gentil. Gentileza é uma maneira de pensar, de ver o mundo, uma atitude que vai muito além do que definem os códigos de bom comportamento. E para ser gentil não precisa de atitudes grandiosas. São gestos simples que podem ser seguidos pelas outras pessoas.
A diferença entre uma pessoa fraca e uma pessoa gentil: o fraco reage, grita, revida, é vingativo, perde a razão. O gentil é flexível, espera o momento certo para agir, trata o semelhante com afeto, mas defende seus direitos com firmeza. Porém, ser gentil não é aceitar tudo o que os outros nos fazem. É preciso colocar limites, mas sem perder a racionalidade. Não é gritando é que vamos mostrar que temos razão. Nossos valores é que devem ser elevados e não o nosso tom de voz.
É possível dizer “não” sem mostrar raiva e podemos defender nossas opiniões com firmeza, mas sem ser rude. É possível criar novas maneiras de agir nos lugares onde a gentileza não está presente.  Mas não podemos compartilhar as atitudes do tipo: “bateu, levou”, “olho por olho”, “vai ser pago na mesma moeda” ou algo do gênero. São tais posturas que transformam um mundo num lugar ameaçador de se viver.
Quando impera a grosseria na família, trabalho, escola, entre casais e colegas fica difícil a convivência, gerando um círculo vicioso de tensão, que ajuda a somatizar doenças no corpo, como úlceras estomacais, enxaquecas e outros sofrimentos. Porém, a prática da gentileza nos dá serenidade – para não se contaminar com essas situações, como diz Kalil Gibran: “Aprendi silêncio com os falantes, tolerância com os intolerantes e gentileza com os rudes. E, ainda assim, estranho, sou ingrato a esses mestres.”
Sociólogo e Psicanalista

Fonte: http://www.psicologiasdobrasil.com.br/por-um-mundo-mais-gentil/#ixzz4Hsrry9zc


Postagens mais visitadas deste blog

7 DICAS PARA NÃO ABSORVER A “ENERGIA NEGATIVA” DE OUTRAS PESSOAS

7 DICAS PARA NÃO ABSORVER A “ENERGIA NEGATIVA” DE OUTRAS PESSOAS Se eu não consigo me desligar da dor ou mesmo das oscilações de humor do outro, logo, eu também sofro com elas e, pouco posso fazer para ajudar, uma vez que estou imerso na mesma fonte de desestabilização emocional. Basta que qualquer matéria sobre empatia seja postada para que dezenas de pessoas (que se identificam como empatas) comentem sobre o lado difícil do excesso de sensibilidade. Não é novidade, também, o fato de existirem pessoas que são, voluntaria ou involuntariamente, mais reativas ao que acontece no ambiente ao seu redor. Para elas, a dor do outro dói em si, o mau humor de alguém as abala e as deixa mal humoradas, notícias pesadas as fragilizam e muito estímulo – como estar no meio de multidões e grandes grupos -, as consomem. A questão é: se eu não consigo me desligar da dor ou mesmo das oscilações de humor do outro, logo, eu também sofro com elas e, pouco posso fazer para ajudar, uma vez que estou imerso na me…

A VIDA NÃO TIRA AS PESSOAS DE VOCÊ, AFASTA AS QUE VOCÊ NÃO PRECISA!

A VIDA NÃO TIRA AS PESSOAS DE VOCÊ,  AFASTA AS QUE VOCÊ NÃO PRECISA!
Quando se trata de salvaguardar o nosso amor próprio e a nossa dignidade, temos que ter sempre algo em mente: não podemos admitir diminuições. Por isso dizemos que a vida não tira as pessoas de nós, mas nos afasta das que não precisamos. Os vínculos emocionais são valiosos e, por isso, é determinante deixar de lado as pessoas más, sem coração, que esmagam a nossa autoestima vezes sem conta. No momento em que você perceber isso, um mundo novo irá se abrir diante dos seus olhos e você vai deixar de precisar da presença daqueles que semearam dúvidas, desconforto e relutância na sua cabeça. Dê a sua ausência às pessoas que lhe fazem malAfaste-se de quem duvida de você, aproxime-se de quem o valoriza, liberte-se de quem o incomoda e ame quem o apoia. Dê a sua ausência de presente a quem não valoriza a sua presença e mostre o valor que você tem. É você quem determina o seu próprio preço, por isso, é esse o valor que as pessoas …

"A BASE DE UM CÉREBRO SAUDÁVEL É A BONDADE,E PODE-SE TREINAR ISSO" - RICHARD DAVIDSON,PhD EM NEUROPSICOLOGIA

“A base de um cérebro saudável é a bondade, e pode-se treinar isso”-Richard Davidson, PhD em neuropsicologia e pesquisador na área de neurociência afetiva
Nasci em Nova Iorque e moro em Madison, Wisconsin (EUA), onde sou professor de psicologia e psiquiatria na universidade. A política deve basear-se naquilo que nos une. Só assim poderemos reduzir o sofrimento no mundo. Acredito na gentileza, na ternura e na bondade, mas temos que nos treinar nisso. Eu estava investigando os mecanismos cerebrais ligados à depressão e à ansiedade. …E acabou fundando o Centro de Investigação de Mentes Saudáveis. Quando eu estava no meu segundo ano na Universidade de Harvard, a meditação cruzou o meu caminho e fui para a Índia investigar como treinar a minha mente. Obviamente, meus professores disseram que eu estava ficando louco, mas aquela viagem marcou meu futuro. …E assim que começam as grandes histórias. Descobri que uma mente calma pode produzir bem-estar em qualquer tipo de situação. E quando me dedique…