Pular para o conteúdo principal

O CAMINHO DO AMOR PRÓPRIO E DA RESILIÊNCIA




O caminho do amor próprio e da resiliência

Ter boa saúde mental e emocional não está associada ao fato de não termos momentos de dificuldade, obviamente todas as pessoas passam por momentos difíceis que geram stress, medo, angústia e dor. O que vai definir aquele que tem uma boa saúde emocional daquele que não detém esse estado de equilíbrio é a capacidade de resiliência de cada um.
Para aprender a seguir em frente mesmo após os dias que não são tão bons, precisamos olhar para dentro de nós mesmos, respeitar os nossos sentimentos, parar de lutar contra eles e ter uma atitude de aceitação e mudança. Afinal, como diria o Leonardo Boff, a crise é uma oportunidade de crescimento.
Mas como desenvolver a resiliência?
A primeira consideração que devemos fazer a nós mesmos é que, geralmente, quando as coisas não vão exatamente da forma como gostaríamos, temos a tendência a sermos mais duros conosco, nos cobramos além daquilo que deveríamos, damos atenção e importância a pensamentos e sentimentos negativos e eles transformam os nossos obstáculos em barreiras quase que intransponíveis.
Desenvolver equilíbrio emocional não é fácil e exige muito esforço e dedicação. Confrontar-se consigo mesmo, com as coisas que passamos a vida inteira tentando esconder de nós mesmos é uma tarefa árdua, que exige tempo, por isso nem todas as pessoas estão preparadas para essa jornada.
O nível mais profundo de estabilidade emocional que conseguimos ter está associado a aquilo que conseguimos estar conscientes sobre nós mesmos, autoconhecimento é o melhor caminho para lidar com as frustrações da vida, desenvolver as nossas potencialidades, reconhecer os nossos fracassos, aprender a diferenciar os nossos sentimentos dos sentimentos alheios, e tudo isso nos ajuda a desenvolver autoconhecimento, amor próprio e resiliência.
Observar os nossos pensamentos, a qualidade daquilo que permeia o nosso ser e passar a ter uma atitude mais crítica acerca daquilo que produzimos no nosso interior, como os pensamentos negativos acerca de nós mesmos é uma boa maneira de ter acesso ao autoconhecimento.
Quando passamos a perceber de que maneira somos afetados pelas coisas, percebemos que ter pensamentos negativos não é um problema, afinal, todas as pessoas têm esses pensamentos e eles ocorrem junto com o fluxo normal de pensamentos, sendo praticamente impossível evitá-los. Entretanto, conhecer e entender o que eles dizem a nosso respeito, conseguir não deixar que eles influenciem o nosso comportamento e estado de equilíbrio é fundamental para atingir maturidade emocional.
Superar os nossos medos, traçar objetivos, continuar a caminhada mesmo no meio das grandes dificuldades são atitudes geradoras de resiliência, além de naturalmente aumentarem a autoestima e o autoconhecimento. Aprendemos a diferenciar esses conceitos apenas didaticamente, por que na prática entendemos que eles ocorrem juntos, no fluxo da vida. Ninguém consegue desenvolver resiliência sem autoconhecimento, ninguém consegue desenvolver autoestima sem ter “as rédeas” da própria vida.
Aprender a parar de se machucar, conhecer bem os nossos sentimentos e saber usá-los a nosso favor exige muito autoconhecimento, desenvolve a nossa capacidade de resiliência e autoestima.
Ocorre que muitas vezes a falta de autoestima nos leva a usar a medida do outro na nossa própria fôrma. Cada um tem em si aquilo que é capaz de impulsionar para alcançar os seus objetivos. O que faz a Maria exalar alegria pode não fazer a Joana feliz e saltitante. Cabe a cada um encontrar-se consigo mesmo. Escrever o seu caminho. Desenhar a sua fôrma e ser feliz em sua própria medida.
Psicóloga Clínica CRP 06/46899

Fonte: http://www.psicologiasdobrasil.com.br/o-caminho-do-amor-proprio-e-da-resiliencia/#ixzz4Hsp4bxXL



Postagens mais visitadas deste blog

7 DICAS PARA NÃO ABSORVER A “ENERGIA NEGATIVA” DE OUTRAS PESSOAS

7 DICAS PARA NÃO ABSORVER A “ENERGIA NEGATIVA” DE OUTRAS PESSOAS Se eu não consigo me desligar da dor ou mesmo das oscilações de humor do outro, logo, eu também sofro com elas e, pouco posso fazer para ajudar, uma vez que estou imerso na mesma fonte de desestabilização emocional. Basta que qualquer matéria sobre empatia seja postada para que dezenas de pessoas (que se identificam como empatas) comentem sobre o lado difícil do excesso de sensibilidade. Não é novidade, também, o fato de existirem pessoas que são, voluntaria ou involuntariamente, mais reativas ao que acontece no ambiente ao seu redor. Para elas, a dor do outro dói em si, o mau humor de alguém as abala e as deixa mal humoradas, notícias pesadas as fragilizam e muito estímulo – como estar no meio de multidões e grandes grupos -, as consomem. A questão é: se eu não consigo me desligar da dor ou mesmo das oscilações de humor do outro, logo, eu também sofro com elas e, pouco posso fazer para ajudar, uma vez que estou imerso na me…

POEMA "METADE" - OSWALDO MONTENEGRO

Metade

Oswaldo Montenegro


Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
A outra metade é silêncio

 Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Pois metade de mim é partida
A outra metade é saudade
Que as palavras que falo
Não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas como a única coisa
Que resta a um homem inundado de sentimentos
Pois metade de mim é o que ouço
A outra metade é o que calo
Que a minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que mereço
Que a tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que penso
A outra metade um vulcão
Que o medo da solidão se afaste
E o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
Que o espelho reflita meu rosto num doce sorriso
Que me lembro ter dado na infância
Pois metade de mim é a lembrança do q…

17 LIÇÕES SOBRE O AMOR QUE VOCÊ PRECISA PÔR EM PRÁTICA EM 2017 PARA SER FINALMENTE FELIZ

© Fornecido por Batanga Media Difusão pela Internet LTDA
casal amor namoro 216 400x800 



17 lições sobre o amor que você precisa pôr em prática em 2017 para ser finalmente feliz 

A proximidade de um novo ano estimula e incentiva mudanças em diversos setores da vida e, claro, no amor as coisas não seriam diferentes. Se você sente que sua relação precisa ser avaliada ou mesmo está solteiro e pretende construir um relacionamento mais sério, conheça algumas importantes lições sobre o amor que você precisa pôr em prática em 2017 para ser finalmente feliz:
Lições para ser feliz no amor1. Fuja da ideia de buscar uma pessoa que te “complete”. Esteja bem consigo mesma e busque um amor que resulte em soma, e não em divisão.
2. Aceite suas próprias falhas e aprenda a conviver com erros do parceiro.
© Fornecido por Batanga Media Difusão pela Internet LTDA casal apaixonado gestos 216 400x800
3. Aprenda que ceder não significa submissão plena e total ao outro e que o ato é necessário para o comprometimento…